Em evento realizado na manhã desta quarta-feira, 1, em São Paulo, representantes da indústria dos games e da cultura pop fizeram o anúncio oficial do Geek & Game Rio Festival. A feira será realizada entre os dias 21 e 23 de abril de 2017 no Rio de Janeiro e promete ser a maior do gênero no Brasil.

Entre as atrações prometidas estão estandes de empresas ligadas ao mundo nerd, campeonatos de games profissionais, cosplay, venda de HQs, painéis e palestras de artistas de cinema e séries de TV. O destaque fica por conta da Arena Gamer, que trará times internacionais de e-sports para competir pelo maior prêmio já oferecido no Brasil: R$ 200 mil.

publicidade

A organização fica por conta da Fagga/GL Events Exhibitions, uma empresa já conhecida do mercado de eventos culturais no Brasil, tendo no portfólio feiras como a Bienal do Livro do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, além da RioContentMarket, voltada para o mercado audiovisual.

A Fagga também é gestora de dois dos maiores espaços para eventos do país: o Riocentro, na capital fluminense, e o São Paulo Expo (antigo Centro de Convenções Imigrantes) na capital paulista. A empresa promete mais de 100 expositores, pré-estreias exclusivas de filmes e artistas internacionais.

Já a Arena Gamer do Geek & Game Festival terá padrão internacional e capacidade para 1.200 pessoas, promete a organizadora. Neste espaço, serão disputados campeonatos de “Counter Strike: Global Offensive”, “Dota” e outros games ainda em negociação com as respectivas publishers.

Nessa parte e em todo o restante do evento a Fagga contará com a parceria da Supernova, empresa de e-sports especializada em streaming de partidas internacionais e dona de time próprio em diversos campeonatos. Nomes de convidados e equipes ainda não foram revelados, já que as negociações ainda estão em andamento.

Concorrência

É curioso notar que a Fagga, como gestora do espaço São Paulo Expo, já cedeu seu ambiente para a organização de outros grandes eventos do universo da cultura geek. É o caso da Comic Con Experience e da Brasil Game Show, por exemplo – este último terá sua primeira edição no novo endereço este ano.

Rodrigo Cunha, curador do Geek & Game Festival pela Fagga, diz que a concorrência é sadia, mas que seu evento tem uma proposta um pouco diferente. “O Rio de Janeiro tem um mercado que está precisando [de eventos de cultura pop], e a gente notou que o pessoal quer fazer”, diz, em entrevista ao Olhar Digital.

Em relação à concorrência de eventos como CCXP e BGS, que já têm grande projeção nacional e internacional, mas que focam-se em públicos distintos – a primeira apela para o fã de cultura pop, enquanto a segunda se concentra no público gamer -, a Fagga acredita que pode unir esses dois “povos” no Geek & Game Festival.

“Esse é o nosso maior desafio, encontrar o equilíbrio. São públicos diferentes. A gente acha que o que vai trazer as pessoas são os nomes [de convidados] que vamos trazer. Os fãs de games vão vir pelos times de e-sports, os fãs de cinema vão vir por causa dos artistas de filmes” e assim por diante, diz Rodrigo.

A Fagga promete ainda espaço para crianças e diz que quer chamar a atenção até de quem “não conhece nada” sobre o universo geek. Mesmo com toda essa mistura, Rodrigo garante que não haverá segregação e que quer atrair tanto os que já conhecem festivais do gênero quanto os iniciantes no meio.

Entre as empresas envolvidas em negociação estão editoras de livros e quadrinhos, desenvolvedores e publishers de games, fabricantes de consoles e periféricos, entre outros nomes ainda não revelados oficialmente. A organização espera receber 70 mil pessoas nos três dias do festival.