EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Uma empresa de Londres desenvolveu um método que permite identificar uma série de indicadores relacionados à boa ou má saúde com apenas uma picada no indicador e algumas gotas de sangue.

De acordo com Hamish Grierson, co-fundador e CEO da Thriva, o diferencial é poder realizar todo o processo em casa e “assumir o controle da própria saúde”. “Todo mundo sabe que é melhor prevenir do que remediar. Mas ter acesso a algumas das informações de maior importância na vida – dados sobre você mesmo e como vai sua saúde – é impactante”, explica Grierson.

publicidade

Packaging contents 6d0a12c11f06d1fbd41296dd7ef204adc9e3ac22c891904fd1671e9ff7112016

O kit de testes vem com um conjunto de instruções e algumas peças reserva, caso o usuário sinta dificuldade em tirar sangue da primeira vez. Depois de tirar a pequena quantidade, o usuário envia a amostra de volta para o laboratório da empresa. O material é analisado e os resultados enviados para a plataforma da Thrivia, onde as informações são agrupadas em um relatório, que traz recomendações sob medida, criadas por um profissional de saúde, indicando, por exemplo, hábitos que podem ser modificados para melhorar a saúde.

Caso os resultados sejam ruins, a plataforma indica que a pessoa procure acompanhamento médico. O teste custa cerca de US$ 60, mas a empresa indica que o usuário realize novas coletas depois de algum tempo, para verificar se as medidas indicadas – caso seguidas – surtiram algum efeito.

O CEO explica que a empresa está desenvolvendo testes específicos para determinados perfis de pessoa. “Estamos tornando fácil para qualquer pessoa descobrir, de maneira rápida e conveniente, o que está acontecendo dentro de seus corpos. Nos próximos meses, vamos lançar testes projetados para que os clientes entendam o impacto de seu estilo de vida em seu corpo. Por isso ele se concentra em três áreas específicas: níveis de colesterol, função renal e função hepática”, explica.

publicidade

“Também estamos desenvolvendo uma gama de serviços relevantes, como o acompanhamento de nutricionistas, personal trainers e de um GPs”, acrescenta Grierson.

 Via TechCrunch