EnglishPortugueseSpanish

A provedora de internet Webpass, dos Estados Unidos, anunciou ontem que foi comprada pelo Google Fiber, o serviço de acesso a internet fornecido pelo Google. Com a aquisição, o serviço do Google passará a operar em cinco outras áreas metropolitanas: San Diego, San Francisco, Chicago, Boston e Miami. O valor da transação não foi divulgado.

Nessas novas regiões, o serviço de internet por fibra óptica do Google funcionará de maneira diferente, por conta da infraestrutura da Webpass. Segundo a Wired, a provedora transmite sinal de internet até uma antena localizada no topo de edifícios, e ela é então distribuída entre os conjuntos por meio de cabos de fibra. Para o usuário, no entanto, a operação é praticamente idêntica.

publicidade

O serviço promete conexões de velocidade impressionante: até 1Gbps (cerca de 1000 Mbps). No entanto, o preço também é considerável. São US$ 65 (R$ 217) mensais, ou US$ 550 (R$ 1850) anuais. O preço da mesma velocidade de conexão no Google Fiber é ainda maior: US$ 80 (R$ 267) por mês. No entanto, segundo a empresa, os preços da Webpass continuarão os mesmos após a aquisição. 

Essa compra pode ser uma tentativa do Google de se inteirar da tecnologia usada pela Webpass. Nas outras áreas em que atua, o Google Fiber leva a internet até seus clientes por meio de cabos de fibra óptica. A técnica de transmissão por meio de antenas, no entanto, permitiria que a empresa reduzisse seus custos e, consequentemente, oferecesse um preço mais competitivo a seus clientes.

O Google Fiber começou a ser disponibilizado nos Estados Unidos em Kansas City, em 2012. O serviço oferece conexões de até 1Gbps de velocidade, mas segundo alguns relatos, também “multa” usuários que baixam conteúdo pirata.

publicidade