Momento histórico para a ciência, a clonagem da ovelha Dolly, a primeira realizada no mundo, está completando 20 anos nesta terça-feira, 5 de julho. O animal foi clonado a partir de uma célula de sua própria mãe e, dessa forma, possuía exatamente os mesmos genes de sua figura materna.

A operação genética foi realizada no Instituto Roslin, em Edimburgo, na Escócia, pelo geneticista Ian Wilmut. Apesar de ter nascido neste dia em 1996, Dolly só foi mostrada ao mundo 22 de fevereiro de 1997, quando já possuía 7 meses de vida.

publicidade

Dolly foi acompanhada durante toda a sua vida e teve uma criação comum. Ela, inclusive, deu à luz dois filhotes. Em 1999, a revista Nature noticiou que a ovelha estaria sofrendo de envelhecimento precoce, problema que poderia ser resultante do processo genético.

A morte de Dolly aconteceu em 14 de fevereiro de 2003 por conta de uma doença pulmonar agressiva que obrigou os cientistas a sacrificarem o animal para evitar o sofrimento. O corpo da ovelha foi empalhado e está exposto no Museu Real da Escócia, em Edimburgo.

Reprodução

A clonagem do primeiro ser vivo a partir de uma célula adulta causou grande polêmica entre a comunidade científica e líderes religiosos. No começo, a experiência também foi tratada como boato e há quem acredite até hoje que nunca houve qualquer tipo de clonagem.  

No Brasil, a operação científica rendeu até mesmo assunto para uma novela. Em “O Clone”, exibida no horário nobre da Rede Globo, em 2001, um dos personagens é clonado por um cientista brasileiro. 

Reprodução