EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A justiça do Rio de Janeiro determinou hoje o bloqueio do WhatsApp em todo o território brasileiro. Embora algumas operadoras já esteja cumprindo a determinação da justiça, alguns usuários podem se dar conta de que continuam com acesso ao aplicativo.

Isso pode acontecer por uma série de motivos. No entanto, uma situação que vem se repetindo nas últimas ocasiões de bloqueio do aplicativo é a de clientes de operadoras menores continuarem com o funcionamento normal do app.

publicidade

As ordem judiciais que determinam o bloqueio do WhatsApp costumam citar, uma a uma, as operadoras de telefonia móvel que devem acatar a decisão. Em geral, são nomeadas as maiores: Vivo, Oi, Claro e Tim. Essas quatro operadoras respondem por 98,3% das redes móveis do Brasil, segundo dados do site teleco.com.br. Por outro lado, as operadoras menores, por representarem uma porcentagem muto pequena das conexões móveis brasileiras, acabam sendo esquecidas.

A Sercomtel, por exemplo, confirmou ao Olhar Digital que até as 14h30 de hoje não havia recebido ainda a notificação da Justiça do Rio de Janeiro para interromper o funcionamento do aplicativo. A empresa disse não ter representação no estado do Rio de Janeiro, mas acredita que pode não ter sido incluída na ordem judicial por ter apenas um número relativamente pequeno de clientes.

Durante o último bloqueio, a Algar também passou por uma situação semelhante. A operadora também se livrou do bloqueio. Outra operadora que tampouco foi notificada pela justiça foi a Porto Seguro conecta. O Olhar Digital entrou novamente em contato com as operadoras, mas ainda não obteve resposta; esse espaços erá atualizado assim que mais informações estiverem disponíveis.

Atualização 15h48: A Porto Seguro Conecta comunicou ao Olhar Digital que dessa vez foi notificada sobre a decisão judicial. Segundo a assessoria de imprensa da operadora, todas as exigências da notificação serão seguidas.

publicidade