EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Parlamentares do Reino Unido estão acusando Facebook, Google e Twitter de “conscientemente” não combater a propaganda e o recrutamento terrorista em suas plataformas. Em um documento publicado na última quinta-feira, 25, o Comitê de Assuntos Internos do Parlamento do Reino Unido afirma que as plataformas de mídia social se tornaram “o veículo escolhido para propagar propagandas e o recrutamento para o terrorismo”.

Apesar de as empresas terem afirmado que removeram milhares de contas de suas redes sociais, o valor é “uma gota no oceano”, segundo o comitê. “Corporações enormes como Google, Facebook e Twitter, com seus bilhões de renda em dólares, estão conscientemente deixar de fazer face a esta ameaça, se escondendo atrás de seu estatuto jurídico, apesar de saber que seus sites estão sendo usados ​​por terroristas,” explica Keith Vaz, presidente do órgão, em um comunicado.

publicidade

O comitê pede às empresas uma “abordagem de tolerância zero ao extremismo online”, além de pedir ao governo do Reino Unido que adote leis que obriguem essas companhias a remover rapidamente o conteúdo extremista, além de cooperar com as investigações.

 Via TheVerge