EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Mark Zuckerberg terá de enfrentar fogo amigo por causa das polêmicas envolvendo a presença de notícias falsas no Facebook.

O BuzzFeed publicou uma reportagem informando que dezenas de funcionários da empresa se uniram clandestinamente para formar uma organização interna que pretende desafiar as declarações do patrão, que vem refutando a ideia de que o Facebook possa carregar alguma responsabilidade pelo resultado da eleição presidencial nos Estados Unidos.

publicidade

“Não é uma ideia louca [como sugeriu Zuckerberg]. O que é louco é ele se pronunciar publicamente e negando [essa influência] daquela forma quando ele sabe — e nós, na companhia, sabemos — que as notícias falsas correram soltas na nossa plataforma durante toda a campanha eleitoral”, disse um dos empregados rebelados.

Um deles reclamou que o Facebook se esforça demais para combater a divulgação de nudez e violência, mas se preocupa muito pouco com a quantidade de material inverídico que circula na rede social. Os usuários até podem denunciar notícias falsas, mas essa ferramenta é pouco levada a sério internamente, disse.

Outro ressaltou que o problema, para eles, não é o fato de que o Facebook permite que as pessoas se isolem em bolhas ideológicas, mas sim que essas bolhas estejam sendo infladas com ajuda de conteúdo mentiroso. “O Facebook está sendo usado por pessoas que se aproveitam de nós para espalhar suas besteiras”, afirmou.

De acordo com a reportagem, embora o grupo ainda seja minoritário dentro da companhia, centenas de funcionários já demonstraram insatisfação com a forma como o Facebook tem tratado da situação. Eles planejam se organizar melhor para formalizar uma reunião na qual poderão apresentar um pacote de propostas à diretoria da empresa.

publicidade