EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Twitter e seus funcionários doaram mais de US$ 1 milhão à American Civil Liberties para lutar contra a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que proíbe a entrada de imigrantes de sete países em seu território.

Outras empresas de tecnologia como Google, Uber e Lyft já doaram mais de US$ 24 milhões para a causa. Além disso, executivos da indústria apoiam a entidade e os imigrantes, peças importantes para o desenvolvimento do setor no país.

publicidade

A Apple também se manifestou e criou um fundo dedicado aos refugiados e aos afetados pela ordem.

Via The Next Web