EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Google não esconde que limpa o seu índice de pesquisa para evitar que sites com conteúdo pirata se mantenham no ar. Agora, a companhia atingiu um novo marco: a empresa já registrou mais de 1 milhão de pedidos de remoção de páginas desde março de 2011.

Os dados não representam o número de URLs que foram retiradas das buscas – que já atingiu mais de 2 bilhões no período – mas sim os nomes de domínios que supostamente infringiam leis de direitos autorais.

publicidade

A manipulação de resultados de pesquisa não é novidade para o Google. A empresa vem limpando seu buscador há anos, sendo que desde 2015 houve um aumento dos pedidos de remoção de sites.

Olhando mais de perto as estatísticas, é possível perceber alguns erros nos pedidos. Por exemplo, os sites da Casa Branca, Departamento de Justiça dos Estados Unidos, The New York Times, Nasa, Netflix e BBC já receberam denúncias, mas, como o Google analisa os pedidos antes de retirar os sites do ar, considerou esses casos como engano.

Embora seja fácil destacar os erros individuais entre 1 milhão de entradas, a maioria dos pedidos são de fato direcionados aos piratas. Muitos sites piratas mudam regularmente para novos domínios ou possuem URLs alternativas para que os usuários possam contornar os bloqueios.

Via TorrentFreak

publicidade