EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Galaxy S8 agora é oficial. O smartphone chegou em duas versões diferentes, com telas de 5,8 polegadas ou 6,2 polegadas, no modelo S8+. O aparelho deve ser um dos Androids mais populares do mundo, como sempre, e certamente ele é diferente de tudo que a Samsung já fez.

No entanto, isso não significa que o celular seja 100% original. Várias das novidades que foram apresentadas ao longo do evento de lançamento são coisas que já vimos em outros celulares mais recentes.

publicidade

Veja alguns exemplos:

Bixby

A nova assistente da Samsung é uma das grandes apostas da empresa, mas certamente não se trata de uma ideia nova. Inspirações para esse recurso não faltam, desde a Siri, dos dispositivos da Apple, até o Google Assistente, do eterno parceiro de Android, Google. Temos também Cortana, da Microsoft, e a Alexa, da Amazon, completando a lista.

Botão Home sensível a pressão

publicidade

Em 2017, a Samsung finalmente abandonou o botão Home físico. No lugar, a empresa adotou teclas virtuais, como a maioria dos celulares Android no mundo. Diferente dos outros, porém, é o fato de que o botão central agora é sensível a pressão. Ou seja: ele responde de formas diferentes dependendo da força com que a tecla é apertada.

O recurso é muito similar ao botão Home do iPhone 7, que também é sensível a pressão. A diferença, claro, é que a Apple ainda mantém uma tecla física para navegação.

“Tela infinita”

Uma das novidades do Galaxy S8 é o que a Samsung chama de “tela infinita”. Em resumo, trata-se de uma tela que ocupa o máximo possível da parte frontal do dispositivo verticalmente e com as tradicionais bordas curvas dos aparelhos da empresa. O resultado é um smartphone que é praticamente 100% tela.

Contudo, a LG chegou primeiro na disputa. A rival coreana apresentou no final de fevereiro, durante a MWC, o G6, que tem exatamente a mesma proposta, com uma tela mais vertical para ocupar o máximo da parte frontal do celular.

Use o seu celular como PC

O Galaxy S8 pode substituir o seu computador, se você quiser. Basta usar o dock DeX, da Samsung, para ligar o celular a um monitor. A interface do sistema se adapta para a tela grande, e permite que você use um teclado e um mouse para usar aplicativos e navegar na internet.

Obviamente, quando falamos nisso, o que nos vem primeiro à mente são os celulares da Microsoft com o recurso Continuum. A ideia é exatamente a mesma. A vantagem da Samsung é que a empresa tem muito mais usuários do que o Windows 10 Mobile, então poucos de fato experimentaram a possibilidade antes de o S8 chegar ao mercado.

Leitor de impressão digital atrás

Com a tela infinita, não sobrou espaço para o botão Home na frente do celular, forçando a empresa a usar uma tecla virtual como solução. Isso também fez com que o leitor de digitais fosse movido para a traseira do smartphone, ao lado da câmera.

A posição já é tradicional de vários aparelhos Android, claro. O Pixel, do Google, por exemplo, já faz isso, e vários aparelhos fizeram o mesmo, incluindo os Nexus 5x e 6p, o LG G6 e muitos outros.