A saga do Juicero parece ter chegado ao fim: a empresa anunciou que está encerrando suas operações após críticas ao seu produto, que se revelou um tanto inútil aos consumidores.

“Desde o nosso lançamento há 16 meses, agradecemos o apoio que você demonstrou em nossa missão de trazer mais produtos frescos para a vida das pessoas. Juicero cresceu muito graças à sua lealdade. No entanto, hoje, depois de vender mais de um milhão de Produce Packs, devemos informá-lo de que estamos suspendendo a venda do Juicero Press e dos Produce Packs imediatamente”, informa a empresa.

publicidade

No anúncio também foi informado que nos próximos 90 dias os consumidores poderão pedir o reembolso pela compra da Juicero Press e que no dia 4 de setembro serão entregues os últimos pacotes de suco.

Entenda a história
A Juicero criou uma espécie de espremedor que faz sucos a partir de pacotes de frutas e vegetais picados, além de se conectar à internet. O dispositivo era vendido por US$ 400 até que, em abril deste ano, a Bloomberg provou que o espremedor não servia para nada.

A empresa vendia os pacotes de frutas picadas – cada saquinho custava entre US$ 5 e US$ 7 – somente para quem tinha comprado a Juicero Press e dizia que apenas a máquina conseguia espremer o conteúdo desses pacotes com a força necessária para produzir o suco. No entanto, descobriu-se que era possível pressionar os pacotes com as mãos e produzir o suco do mesmo jeito.

Nas redes sociais, a Juicero foi alvo de uma série de críticas e depois disso precisou reduzir o preço do produto para US$ 200 e reembolsar os clientes que optaram por devolver o espremedor, além de demitir 25% dos seus funcionários em julho.