EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Mais consumidores tiveram problemas com seus iPhones 8, mas desta vez o defeito não estava na saída de som ou no comportamento do software. Parece que o culpado é a bateria.

As imprensas taiwanesa e chinesa reportam que uma consumidora identificada como “senhora Wu” renovou seu contrato com a operadora para pegar um iPhone 8 Plus rosa de 64 GB. Cinco dias depois, ela colocou o aparelho para carregar (usando carregador e adaptador originais) e notou, apenas três minutos mais tarde, que a tela começou a inchar até o ponto de se desprender completamente.

publicidade

A operadora substituiu o aparelho e enviou a unidade defeituosa para a Apple, mas esse não foi o único caso.

Outro consumidor, só que no Japão, publicou no Twitter que comprou também um iPhone 8 Plus e, quando recebeu a encomenda, viu que a tela estava totalmente descolada como se tivesse sofrido um inchaço.

Nos dois casos, há suspeita de que o problema esteja com a bateria. E há notícias não confirmadas apontando que a versão maior do iPhone 8 usa uma bateria fabricada pela Amperex Technology — justamente a responsável pelo componente do Galaxy Note 7, que teve de ser tirado das lojas porque suas baterias corriam risco de explosão.

Mas nem uma dessas histórias conta com a chancela de uma fonte oficial, como ressalta o The Next Web, e portanto é preciso levar tudo isso com uma boa dose de desconfiança.

Além disso, mesmo que os problemas se confirmem, duas unidades defeituosas em meio a milhões de outras vendidas não significa que haja um problema com a linha, como ocorreu com o Note 7. Os iPhones 7 e 7 Plus tiveram relatos até de explosão quando foram lançados, mas apenas com uma minoria.