Com uma população estimada em mais de 1,3 bilhão, a China é um país que tem abraçado tecnologias de reconhecimento facial com entusiasmo. E parece que o recurso começou a se espalhar para o meio acadêmico.

Nesta quarta-feira, 25, o China Daily trouxe a história de Shen Hao, professor da Universidade de Comunicação da China, que começou a usar um sistema de reconhecimento facial para agilizar a chamada nas suas aulas.

publicidade

Hao tem mais de 300 alunos em seis cursos. Antes de cada aula, ele aciona um aplicativo em seu tablet e pede que todos os presentes mostrem seu rosto para a câmera do dispositivo.

O aplicativo usa tecnologia aberta da Baidu de inteligência artificial para comparar a informação recebida pelo app com o banco de dados da universidade, o que tornou todo o processo mais simples e eficiente.

“O jeito tradicional de acompanhar presença é através da lista de chamada”, lembrou o professor em entrevista ao China Daily. “[Mas] o novo sistema economiza tempo e reduz o trabalho dos professores.”

Cui Yuqin, aluna de jornalismo de dados, disse ao site que os estudantes apoiam a iniciativa, embora brinquem que ela traga como “problema” o fato de que ficou mais complicado faltar às aulas.