EnglishPortugueseSpanish

O Android Pay ao Brasil nesta terça-feira, 14, prometendo a comodidade de usar celulares para pagamentos em lojas e aplicativos online. Com o serviço, os usuários podem cadastrar seus cartões de crédito, débito e fidelidade em uma carteira virtual e andar por aí apenas com o seu celular com tecnologia NFC e Android 4.4 (KitKat) ou superior. Tudo isso sem custo adicional para o cliente.

Como todo serviço financeiro, a carteira do Google possui regras específicas e algumas exigências para funcionar adequadamente e de forma segura no smartphone. Para te ajudar a entender tudo sobre o sistema de pagamento móveis, o Olhar Digital reuniu as principais perguntas e respostas sobre o Android Pay. Confira:

publicidade

– O que é e como funciona o Android Pay?

O Android Pay é um sistema de pagamentos móveis para celulares com o sistema operacional do Google. A função funciona como uma carteira virtual, guardando versões digitais do seu cartão de crédito, débito e também de com alguns cartões de fidelidade. Para usar o serviço, é preciso baixar o aplicativo oficial na Play Store e também ter um cartão de crédito compatível.

O pagamento da compra se dá via aproximação do celular com conectividade NFC às maquininhas de cartão com suporte à tecnologia. Para realizar as transações, é preciso que o telefone esteja desbloqueado. O Android Pay não usará o número real do seu cartão, mas sim uma versão virtual gerada na hora e validada pelo banco, aumentando ainda mais a segurança contra clonagens e roubo de informações.

– Quanto custa para usar o Android Pay?

publicidade

De acordo com o Google, o uso do Android Pay no Brasil é gratuito.

– Quais cartões estão disponíveis?

Nesta primeira etapa do Android Pay, apenas o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, a Porto Seguro Cartões, o Banco Neon e o Brasil Prepagos aderiram ao sistema. Os modelos específicos adicionados ao serviço do Google são:

ReproduçãoPor enquanto, somente cartões da bandeira Visa são aceitos pelo Android Pay no Brasil. Ou seja, os clientes das bandeiras Mastercard e Elo vão ter que aguardar até que o suporte a estes seja adicionado. O mesmo vale para clientes dos bancos Itaú, Bradesco e Santander, que ainda não aderiram ao programa do Google.

– Como saber se o meu celular é compatível?

O Android Pay não funcionará em smartphones que rodem o sistema em versões anteriores ao 4.4 (KitKat) ou executem uma versão para desenvolvedores. Além disso, não é possível ter acesso ao root, uma ROM personalizada, usar o Samsung MyKnox, ter software de fábrica modificado ou um carregador de inicialização desbloqueado. Por fim, é preciso que estes tenham sido testados e aprovados pelo Google, o que deve afetar os celulares de fabricantes desconhecidas.

O Google divulgou ainda uma pequena lista de dispositivos incompatíveis, dentro os quais se destacam: o Nexus 7 (2012), o Galaxy Note 3 e o Galaxy S3. Caso o seu celular não seja nenhum destes, tenha conectividade NFC e não se enquadre em nenhuma das situações citadas anteriormente, a tendência é que o Android Pay funcione normalmente.

– Funciona com crédito? Débito? Fidelidade?

O Android Pay aceita tanto cartões de créditos como os de débito, sendo que o usuário precisa checar o suporte à ferramenta do Google junto ao banco. Além disso, o usuário também pode cadastrar cartões fidelidade de algumas lojas e usar a tela do celular para fazer a leitura do código de barras destes nos terminais de pagamento.

O Google garante ainda que todos os benefícios, garantias e prêmios que os usuários recebem em seus cartões físicos de bancos serão mantidos no Android Pay. Já nos demais casos, é necessário entrar em contato com as empresas para mais informações.

– Quando Itaú, Bradesco e Nubank estarão disponíveis?

No evento de lançamento de lançamento do Android Pay, a ausência de três instituições chamou a atenção dos consumidores. Procurado pelo Olhar Digital, o Banco Itaú afirmou que “está trabalhando junto a Android para disponibilizar o serviço do Android Pay para os seus clientes o mais breve possível”. No entanto, a instituição não revelou datas ou prazos para isso.

Já o Nubank afirmou ter acompanhado o lançamento, mas que ainda não tem previsão para aderir ao Android Pay. “Por sermos uma startup, temos que priorizar os nossos recursos, que hoje estão direcionados para os testes da NuConta”, disse a empresa em comunicado encaminhado para a redação do Olhar Digital.

Já o Banco Bradesco não respondeu ao nosso contato até o fechamento desta reportagem. No entanto, a instituição financeira aparece com a marcação “Em breve” no site oficial do Android Pay. Nesta terça-feira, 14, aliás, os clientes do banco ganharam acesso ao Samsung Pay, que é um sistema de pagamentos similar disponível para smartphones Galaxy.

– Em quais lojas eu posso pagar com o Android Pay?

O Google anunciou parceria com diversas redes para aceitar pagamentos locais com o Android Pay. Dentre eles, destacam-se as lojas AmPM, os supermercados Carrefour, as drogarias Droga Raia e Drogasil, a Casa do Pão de Queijo, o Rei do Marte, os postos Ipiranga, a Hering, a papelaria Kalunga, entre outras.

Além das parceiras, qualquer máquina com suporte a pagamento por aproximação deve ser compatível com o Android Pay. Basta procurar por um símbolo do serviço do Google ou por um ícone composto por ondas e uma mão segurando um cartão, como na imagem abaixo:

ReproduçãoAlém disso, o usuário também poderá fazer compras online utilizando a função “Pagar com o Google”. Alguns aplicativos e serviços de destaques são: iFood, Hotel Urbano, Peixe Urbano, Magazine Luiza e Hu.com.br.

– Posso acompanhar o meu histórico de transações? E pedir reembolso?

O aplicativo oficial do Android Pay possui um histórico com todas as transações feitas no cartão do usuário. O recurso promete ser bastante útil para quem gosta de fazer um acompanhamento dos seus gastos ou tem desconfiança sobre alguma compra feita no seu cartão.

De acordo com o Google, o usuário que encontrar uma cobrança indevida no seu cartão de crédito deverá entrar em contato com o banco emissor para checar a origem da transação. Além disso, para devolver uma compra feita via Android Pay é preciso guardar o recibo da loja e levar o smartphone até o local de compra. É possível que o sistema solicite os quatro últimos números da conta virtual, o que pode ser encontrado a tela de detalhes de cartão no aplicativo do Pay.

– Funciona com iPhone?

Não. Por enquanto, os donos de iPhone têm que aguardar a chegada do Apple Pay ao Brasil para fazer pagamentos com o celular. O recurso tende a funcionar em todos os smartphones vendidos por aqui desde o iPhone 6. No entanto, tudo indica que a Apple não pretende lançar a ferramenta por aqui neste ano.

– O que fazer se eu perder o celular ou for roubado?

Segundo o Google, o usuário que perder o celular ou for roubado deve acessar o gerenciador de dispositivos (www.google.com/android/find) e bloquear o smartphone ou limpar os seus dados remotamente. Com isso, as informações do Android Pay estarão seguras.