EnglishPortugueseSpanish

Hackers usaram a credibilidade de Amazon, Google, Facebook e Microsoft para aplicar um engenhoso golpe na quinta-feira que antecedeu a Black Friday, na semana passada.

Internautas que procuravam o link para o site da Amazon nos Estados Unidos encontravam um anúncio no topo do buscador do Google que, embora parecesse legítimo, era a porta de entrada para o esquema.

publicidade

Conforme revelado pela CBS, o anúncio redirecionava o internauta para um aplicativo que rodava dentro de uma página no Facebook. O app, então, redirecionava para uma página falsa de suporte da Microsoft que alertava a pessoa sobre uma falsa infecção por malware.

Essa página continha um telefone de suporte. Quando a pessoa ligava, o atendente dizia que precisaria controlar a máquina remotamente para resolver o problema — e que isso custaria US$ 149,99.

Todo esse malabarismo foi feito para contornar os sistemas de detecção do Google. Como o anúncio redirecionava para um link legitimamente hospedado no Facebook, o buscador não viu problemas. E como o app não continha nenhum vírus, o Facebook também não viu problemas.

O Google não informou quantas pessoas foram impactadas pelo anúncio fraudulento e nem explicou como alguém conseguiu alcançar o topo das buscas — algo que não costuma sair barato para anunciantes.

publicidade

A tal publicidade foi tirada do ar e a conta responsável, banida do Google. A página que hospedava o app no Facebook também não está mais operando.