EnglishPortugueseSpanish

A disputa entre Qualcomm e Apple tem tomado proporções dignas da batalha judicial entre Apple e Samsung. No capítulo de hoje desta série, a Apple decidiu abrir um processo contra a Qualcomm afirmando que a fabricante de chips estaria infringindo oito ou mais patentes de gerenciamento de energia em dois chipsets antigos Snapdragon, especificamente os modelos 800 e 820.

O processo solicita o pagamento de uma quantia ainda não determinada por parte da Qualcomm, segundo a Reuters. Segundo a Apple, as patentes envolvidas no processo são referentes a uma tecnologia que permite que a cada parte do processador do celular só puxe o mínimo de energia necessário para o funcionamento, desligando os componentes desnecessários em determinado momento para economizar bateria.

publicidade

Não é coincidência, no entanto, que a Qualcomm tenha registrado um processo contra a Apple basicamente pelo mesmo motivo. Em julho, a fabricante de chips abriu ação contra a empresa do iPhone por violar patentes referentes a tecnologias que ajudam celulares a terem uma melhor autonomia de bateria.

A Apple havia alegado que as patentes da Qualcomm que teriam sido infringidas eram inválidas, mas ao revisar o caso decidiu contraprocessar a adversária com acusações próprias. “A Apple começou a perseguir essas patentes anos antes de a Qualcomm começar a perseguir as patentes que usa contra a Apple neste caso”, diz a companhia fundada por Steve Jobs em sua queixa.

O caso é extremamente complicado e parece mais que as empresas estão trocando processos como forma de demonstração de força para tentar ganhar vantagem em uma negociação. Tudo começou em janeiro deste ano, quando a Apple cobrou US$ 1 bilhão da Qualcomm na justiça em abatimentos de royalties que a empresa teria retido e que pertenceriam a Apple. Já a Qualcomm decidiu processar as empresas que montam os celulares da Apple, que se uniu à ação para defender seus parceiros. Além disso, a Qualcomm também enfrenta um processo da da Comissão Federal de Comércio dos EUA por vários dos motivos mencionados pela Apple, sob acusação de praticar preços irregulares.

publicidade