Engenheiros da Universidade de Connecticut desenvolveram um sensor de pressão biodegradável que se dissolve no corpo do paciente. Conforme relata o Digital Trends, o dispositivo pode tornar procedimentos médicos menos invasivos.

O sensor de pressão criado é pequeno e flexível e é projetado para monitorar o trabalho dos órgãos e pressão interna de pacientes com doenças pulmonares crônicas e inchaço cerebral. Ele é composto por uma película elétrica espremida entre dois eletrodos, essa peça, então, é revestida com um material biodegradável chamado ácido poliláctico.

publicidade

Os dispositivos atuais de medição de pressão interna costumam ser volumosos e precisam ser removidos pelos médicos após a implantação. Isso pode gerar danos em órgãos e regiões delicadas do corpo. Já o novo aparelho, por ser biodegradável, dispensa a necessidade de remoção.

“Nós queríamos fazer algo que pudesse ser implantado e monitorar a pressão do órgão e depois desaparecer sem ter que ser removido”, afirma o engenheiro responsável pelo projeto, Thanh Duc Nguyen. “Para fazer isso, implantamos um sensor biodegradável para que ele possa interagir diretamente com os tecidos macios e, em seguida, colocamos um sistema eletrônico sem fio implantado em um lugar longe de tecidos tão delicados”.

Ou seja, os sensores podem ser conectados diretamente à área que precisa ser monitorada, enquanto a parte eletrônica que transmite os dados fica próxima da superfície da pele. Depois que o trabalho do sensor estiver completo, a eletrônica pode ser removida através de um procedimento simples, enquanto o sensor se dissolve dentro de alguns dias.