EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Lenovo Z5 poderia ser mais um clone do iPhone X lançado no mercado chinês de smartphones, mas seu lançamento tem sido um festival de polêmicas. Tudo porque o aparelho tem se mostrado cada vez mais distante daquilo que a fabricante havia prometido.

No fim de maio, a Lenovo anunciou que faria a apresentação oficial do Z5 em 5 de junho. O vice-presidente da empresa, Chang Cheng, chegou a dizer que este seria o primeiro celular de tela infinita de verdade, com a promessa de que o display ocuparia 95% da parte frontal do aparelho.

publicidade

Até mesmo o infame entalhe na parte superior do iPhone X, copiado à exaustão por outras fabricantes de celular, seria abolido no Z5, de acordo com Cheng. Imagens de divulgação também prometiam um design realmente inovador. Mas quando o celular foi anunciado, veio a decepção.

Além de um entalhe na tela que não aparecia nas imagens de divulgação, o celular tem bordas bem visíveis, especialmente na parte inferior da tela. E isso é o que as imagens oficiais mostravam, pois fotos tiradas do smartphone in loco mostram que a realidade é ainda mais distante da promessa.

Um usuário do Twitter (o mesmo responsável por vazar o possível visual do Pixel 3) postou uma foto comparando o Lenovo Z5 visto “ao vivo” com uma foto de divulgação, e a diferença é nítida. Além disso, a promessa de que a tela do celular ocuparia 95% da parte frontal também virou lenda. No anúncio oficial, esse número virou 90%, segundo o Ars Technica.

Muitas outras promessas viraram pó quando o Z5 foi anunciado. Cheng disse em maio que o smartphone teria 4 TB de memória interna, o que já parecia um exagero na época. Na realidade, o smartphone tem versões de 64 GB ou 128 GB de espaço interno, como a maioria dos celulares intermediários modernos.

Chang Cheng, o vice-presidente da Lenovo autor das falsas promessas, também foi CEO da finada ZUK, uma marca de celulares que fazia parte da Lenovo, mas que foi aposentada depois que a empresa comprou a Motorola. Ele também disse que o Z5 seria um “sucessor espiritual” de modelos da ZUK como o Z1, Z1 Pro, Z2 e Edge.

O Z5 começa a ser vendido oficialmente na China no próximo dia 12 de junho, mesma data em que a Vivo (a fabricante de smartphones chineses, sem relação com a operadora de telefonia brasileira) lança um celular que também promete vir “sem bordas”. Resta esperar para ver se a Vivo também decepcionará o mercado como a Lenovo.