EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Elon Musk está processando um antigo funcionário da Tesla que teria enviado informações sigilosas internas para outras empresas. O empreendedor quer acesso a arquivos do antigo empregado em serviços como Facebook e Dropbox.

O funcionário em questão é Martin Tripp, que trabalhava em uma fábrica responsável pela produção das baterias que equipam os veículos da Tesla. Segundo site Ars Technica, ele admitiu que de fato vazou informações confidenciais da Tesla, mas não com o objetivo de prejudicar a empresa.

publicidade

De acordo com Tripp, a ideia era alertar o público de questões de segurança relacionadas aos veículos da montadora. Ele disse ter visto baterias defeituosas sendo instaladas em carros da companhia, e queria avisar potenciais consumidores da empresa de problemas que poderiam ser enfrentados ao comprar um veículo da Tesla.

A Tesla nega as acusações de Tripp. A empresa diz que ele “ou não está dizendo a verdade, ou simplesmente não tem ideia do que está falando.”

Agora, Musk quer investigar o que exatamente ele vazou, e para quem. A empresa já tinha conseguido autorização para acessar dados armazenados por Apple, Microsoft e Google, e agora vai poder vasculhar informações no Facebook e Dropbox do antigo funcionário.

publicidade