EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Infelizmente, a vida útil do celular é cada vez menor. Foi-se o tempo em que o celular durava quatro ou cinco anos, por uma série de motivos. Essa situação faz com que o consumidor esteja sempre de olho em qual será o seu próximo smartphone, porque nunca se sabe quando o seu aparelho vai deixar de estar disponível.

Nessa hora, sempre aparece aquela pergunta: “vale a pena comprar um celular deste ano ou é mais vantajoso olhar os modelos do ano passado?”. Em 2018, especificamente, a resposta é uma vantagem clara para os modelos do ano passado.

publicidade

A seguir, daremos bons motivos para olhar para um celular de 2017 na hora de procurar por um novo smartphone.

Eles são bons o suficiente

Primeiro de tudo, a maioria da população não precisa de um celular de ponta, simples assim. Se o que você faz no seu celular é só consultar as redes sociais, bater papo no WhatsApp e tirar uma foto ou outra de vez em quando, não faz diferença se o aparelho foi lançado em 2018 ou em 2017.

Até mesmo para os power-users, que buscam extrair o máximo de desempenho dos seus celulares, as vantagens dos aparelhos mais novos em comparação com os do ano passado não são tão grandes. É totalmente possível viver com um Moto Z2 Play, por exemplo, na faixa intermediária-premium, ou com um Galaxy S8 entre os tops de linha; ambos os celulares foram lançados no ano passado e ainda entregam boa experiência de uso.

publicidade

Não há inovação

Em outro artigo do Olhar Digital, exploramos os motivos pelos quais é uma má ideia comprar um celular top de linha agora. Uma das razões é simples: não há inovação que justifique a busca por um aparelho de 2018. Os grandes lançamentos deste ano são basicamente melhorias de especificações em relação às suas versões do ano passado; melhorias estas que, como mencionado acima, são desnecessárias para a maior parte do público.

Desvalorização natural

O motivo primário para alguém procurar um celular de 2017 em vez de um de 2018 é, obviamente, preço. Neste sentido, o mercado brasileiro é bastante interessante em comparação com o que se vê no exterior, onde o preço costuma oscilar muito pouco.

Mantendo os exemplos do item anterior, é interessante ver como os celulares ficaram mais acessíveis ao longo do último ano. O Moto Z2 Play foi lançado por R$ 2.000, mas hoje já pode ser encontrado por R$ 1.300; enquanto isso, o Galaxy S8, lançado por R$ 4.000, está custando R$ 2.100. Para comparação, o Moto Z3 Play custa hoje R$ 2.000, e o Galaxy S9 não sai por menos de R$ 3.000.

Efeito dólar

Você pode ter notado que nos últimos meses o dólar deu uma disparada, certo? Isso impacta bastante o preço de lançamento dos eletrônicos no Brasil, de uma forma que não afetava os celulares lançados no ano passado. Isso quer dizer que, no lançamento, os celulares mais caros de 2017 não eram tão caros quanto os de 2018, o que faz com que a desvalorização natural do produto com o tempo crie uma diferença ainda mais