EnglishPortugueseSpanish
publicidade

De Cingapura a São Paulo ou Kuala Lumpur a Istambul, o transporte público autônomo está se mostrando um fenômeno global. Das atuais ofertas autônomas do mundo, os trens são, sem dúvida, os mais comuns e, compreensivelmente, os mais confiáveis.

Se você estiver se perguntando, quando outros veículos autônomos serão adicionados ao ecossistema do trânsito ao redor do mundo…eles já estão aqui (ainda que em uma escala muito menor). Quando se trata de ônibus autônomos, houve uma série de projetos e avanços recentes: A cidade de Sydney está testando sua primeira frota de ônibus autônomos em um ambiente de parque controlado com apoio de parceiros públicos e privados; Nos últimos seis meses os moradores de Taipé se locomovem em um trecho de 1 km do centro a bordo dos quatro ônibus autônomos do nível EZ10 e Las Vegas acabou de concluir um programa piloto, tornando-se a primeira cidade nos EUA a colocar a nova tecnologia em vias públicas e atendendo cerca de 25.000 passageiros no processo.

publicidade

Em todo o mundo há agora um alto nível de interesse nesta tecnologia de mobilidade específica, particularmente em recintos privados, como parques empresariais, empreendimentos residenciais, aeroportos e universidades, todos os quais interessados ​​em um serviço de transporte seguro.

Com toda esta atenção, a tecnologia de ônibus autônomos ainda está amadurecendo e trabalhando para descobrir seu lugar no sistema de transporte – com a regulamentação sendo um fator importante para o seu sucesso. Em muitos casos, testes autônomos de ônibus têm confundido as linhas entre mobilidade pública e privada. Ainda estamos para ver como essa parceria vai se desenrolar. Uma das questões que define este desafio é responder se esta nova forma de mobilidade está completando ou competindo com as opções atuais de transporte público.

Não há dúvida de que os benefícios de aperfeiçoar e implantar essa tecnologia são altos (dos fatores ambientais ao aumento da produtividade), a automação oferece aos passageiros que, de outra forma, podem caminhar ou dirigir. Pesquisas sobre ferramentas de segurança e simulação de sistemas autônomos para o planejamento da cidade fornecerão uma melhor compreensão e aceitação entre os novos modelos de mobilidade.

Por exemplo, a ilha de Okinawa, no Japão, implantou um ônibus autônomo, conectando o Shopping AEON com a marina do Porto de Ginowan. Em uma instalação de realidade virtual, eles também testaram a interação homem-máquina, que é inquestionavelmente um dos principais desafios enfrentados pelos veículos autônomos.

publicidade

O projeto de ônibus autônomo em Las Vegas mostra que a confiança em veículos autônomos aumenta à medida que as pessoas experimentam a tecnologia. Antes de andar no veículo, o sentimento dos passageiros foi medido numa escala de 1 a 10. A média ficou em 6,8. E, após andar no veículo autônomo, a nota subiu para 8,8 com 98% dos passageiros confirmando que recomendariam a experiência a um amigo.

Da mesma forma, em termos de novas ofertas de transporte em Las Vegas e revisões positivas de transporte, os carros autônomos Aptiv operando na rede Lyft ganharam uma classificação média de 5 estrelas (quantos humanos você pode dar essa honra?) em suas mais de 5.000 viagens entre os hotspots da Strip. Com 60 veículos atualmente em operação e mais 90 sendo acrescentados até o final do ano, o serviço está ajudando a abrir caminho para uma relação mais confiante e familiar entre o transporte do futuro e os passageiros de hoje.

Uma vez que a confiança dos passageiros for conquistada, é tudo uma questão de criar uma infraestrutura que seja capaz de suportar a expansão de veículos autônomos dos trilhos até as estradas.