EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Não está fácil ter um celular no Rio de Janeiro. Segundo os dados do ISP (Instituto de Segurança Pública), foram contabilizadas 26.546 ocorrências de roubo de celular ao longo de 2018, número recorde na história do estado desde que esses dados começaram a ser computados.

O número, no entanto, pode ser enganoso por alguns motivos. Apesar de os dados apontarem um aumento de 8,9% nas ocorrências na comparação com o ano anterior, 2017 contou com um período atípico de greve da Polícia Civil do RJ. Isso fez com que vários crimes no período não fossem notificados e registrados de forma adequada.

publicidade

Segundo o Mobile Time, os dados apontam que existe a possibilidade de que, se os roubos de celulares fossem notificados adequadamente no período da greve, 2018 tivesse menos casos do que 2017. Isso porque quase todos os meses de 2018 contam com menos ocorrências do que no ano anterior, com exceção do trimestre final. Assim, se os dois meses de greve estivessem normais, os números poderiam se equilibrar.

No fim das contas, o mês com a maior quantidade de casos reportados de roubo de celular em 2018 foi outubro, com 2.482 ocorrências. O número fica próximo do mês com recorde histórico de celulares roubados, que aconteceu em maio de 2017, com 2.548 casos computados.

Por fim, também é importante observar que a região metropolitana da capital foi a área com maior número de incidências, com 14.631 ocorrências, ou 55% do total. O segundo lugar com maior número de casos com a Baixada Fluminense, com 6.983 casos, ou 26%.

publicidade