O YouTube anunciou nesta sexta-feira, 25, que está trabalhando para aprimorar o sistema de recomendações de vídeos da plataforma. Isso inclui parar de recomendar a usuários vídeos que defendam teorias de conspiração, golpes e notícias falsas.

Num post publicado em seu blog oficial, o YouTube explicou que quer lidar melhor com tipos de vídeos que não chegam a violar as políticas de uso da plataforma, mas que, mesmo assim, espalham pela página inicial do site e do app conteúdo que não devia ganhar projeção.

publicidade

“Para isso, começaremos a reduzir as recomendações de conteúdos no limite [do que as políticas de uso permitem] e conteúdos que possam desinformar os usuários de maneiras prejudiciais”, declarou a empresa.

Como exemplo, o YouTube cita “vídeos promovendo uma cura milagrosa falsa para uma doença grave, que aleguem que a Terra é plana, ou que fazem afirmações descaradamente falsas sobre eventos históricos como o 11 de Setembro”.

Segundo o YouTube, a mudança deve impactar menos de 1% de todo o conteúdo que é colocado na plataforma. A empresa reitera que os vídeos não serão banidos porque não violam as políticas de uso, mas terão seu alcance reduzido ao serem barrados da página de recomendações do site e do app.

Vídeos conspiracionistas, revisionistas e de notícias falsas vão continuar aparecendo para inscritos em canais desse tipo de conteúdo e para quem pesquisar por eles. Mas não vão mais aparecer como recomendação para quem não tem interesse nesses assuntos.

A princípio, a mudança será gradual e só vai afetar um pequeno número de usuários nos Estados Unidos. Vale lembrar que, em 2018, o YouTube começou a inserir artigos do Wikipédia como links relacionados a vídeos de teorias de conspiração e de fake news.