EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Se você acompanha o mundo da tecnologia, deve lembrar que, no início do ano, a Apple pintou um grande painel em um hotel em Las Vegas, durante a CES 2019, no qual dizia: “O que acontece no iPhone, fica no iPhone”. A intenção da gigante de Cupertino era alfinetar empresas como o Google e o Facebook, que monetizam em cima dos dados dos usuários.

Pois bem, nessa semana, a Apple teve que mostrar para a empresa de Mark Zuckerberg mais uma vez que não está para brincadeira quando o assunto é a privacidade dos usuários e isso instaurou o caos dentro do Facebook.

publicidade

Na última terça-feira (29), depois que tivemos a confirmação de que o Facebook pagou adolescentes e adultos até 20 dólares por mês para instalar uma VPN para smartphone que garantia à empresa acesso aos dados pessoais dos participantes, a Apple revogou os direitos dos apps internos do Facebook em seus sistemas.

De acordo com o canal The Verge, isso fez com que os funcionários do Facebook ficassem de mão atadas, pois sem o acesso ao sistema da Apple, não conseguiam abrir as versões beta de aplicativos da empresa, como o Messenger e o Instagram, entre outros.

Mais do que isso, a empresa liderada por Tim Cook demonstrou o tamanho da responsabilidade que carrega nas mãos, pois poderia muito bem ter removido o aplicativo do Facebook – e mesmo outros serviços da empresa – da Apple Store, como fez no ano passado com o Tumblr. Mais do que isso, poderia remover os direitos do aplicativo do Facebook rodar em dispositivos iOS.

E quem iria dizer que a Apple estava errada? O Facebook quebrou de fato as regras de desenvolvedor do iOS. O mesmo poderia acontecer por parte do Google, visto que o mesmo aplicativo VPN também está disponível para os usuários do Android.

publicidade

Por outro lado, a Apple não iria punir os proprietários de iPhones e iPads mundo afora por um erro primário da equipe de Mark Zuckerberg. Mas mandou um aviso e, pelo visto, ecoou dentro das paredes de Palo Alto.