EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Nintendo anunciou nesta semana a chegada de uma novidade que deve ajudar bastante os fãs da empresa no Brasil. A companhia japonesa começou a aceitar pagamentos em boleto bancário, ampliando consideravelmente o alcance de sua loja online, já que muitos brasileiros evitavam usá-la por não ter cartão de crédito. 

Este é mais um aceno da Nintendo para o mercado brasileiro, mesmo que a empresa não tenha lançado o console de forma oficial no Brasil, forçando o consumidor a recorrer à importação (nem sempre regular). 

publicidade

Com a mudança, passa a ser possível adquirir todos os 37 jogos disponíveis na versão brasileira da Nintendo Store por meio de pagamento em boleto. A novidade também vale para a assinatura do Nintendo Online, o serviço que permite jogar multiplayer no Switch e fazer backup dos saves de games na nuvem; as opções incluem 1, 3, ou 12 meses pré-pagos. Os preços são os mesmos tanto no boleto quanto no cartão. 

O boleto emitido pela Nintendo tem validade de até 7 dias, e a empresa nota que haverá um período de espera para validação do pagamento que fica entre 2 e 3 dias úteis. Após a confirmação, será enviado um código para resgatar o jogo para o e-mail cadastrado em sua conta da Nintendo. O usuário também precisará fazer um cadastro com nome, endereço e CPF. 

A introdução do método de pagamento por boleto já se provou uma ideia simples e inteligente para atrair o público brasileiro. Desde que o Steam anunciou essa medida, sua base de usuários brasileiros só cresceu; a facilidade de pagamento também ajuda a limitar a pirataria, já que abre meios para que quem não pagava por jogos por falta de opção passe a comprar os produtos legalmente.

O curioso é notar que a Nintendo é a primeira entre as três grandes produtoras de console a perceber a preferência do brasileiro pelo pagamento em boleto. Sony e Microsoft contam com uma presença muito mais forte no Brasil e ainda não abraçaram a modalidade, dando preferência aos “gift cards”, que podem ser comprados em lojas físicas ou virtuais, como método de pagamento para quem não tem cartão de crédito.

publicidade