EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Austrália, tido como um país pacífico e sem histórico de conflitos com outras nações, vem se posicionando dentro do mercado de combate. Agora, o país é a sede do desenvolvimento de um jato de combate autônomo que vem sendo projetado pela Boeing. O plano é colocar essa aeronave no céu até 2020 e projetá-la para voar ao lado de naves tripuladas, coletando informações, realizando testes de alerta, de vigilância e reconhecimento.

Chamada de Boeing Airpower Teaming System, a aeronave tem maior autonomia de voo e, segundo a sua criadora, consegue resistir melhor a força da gravidade, além de diminuir os riscos em relação a colocar um piloto humano em situação de perigo. Seu projeto reduzirá pela metade os custos envolvidos no caso de caças tripulados, mas a Boeing ainda não divulgou valores exatos.

publicidade

Reprodução

Dentro do planejamento, está incluso a intenção de vender a aeronave para clientes ao redor do mundo e fazer modificações necessárias caso seja exigido por algum deles. Em 2017, os EUA anunciou que também estaria trabalhando em jatos de combate autônomos, mas o projeto está previsto para ir ao céu apenas em 2030. Sendo assim, é possível que seja mais prático usar o projeto da Boeing que, por sinal, é americana. 

publicidade