EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A evolução dos robôs para além da cópia de movimentos humanos acaba de ganhar mais um capítulo. A Festo, empresa de tecnologias de automação, desenvolveu uma mão robótica flexível que aprende a manusear itens entre os dedos por inteligência artificial. O sistema autodidata dá um passo fundamental rumo à criação de robôs que possam, no futuro, executar tarefas por conta própria em ambientes domésticos e de trabalho, por exemplo.

A BionicSoftHand determina a realização das tarefas por tentativa e erro, mas sem um processo manual demorado. Quando os engenheiros dão um objetivo ao robô, câmeras 3D e sensores de profundidade criam uma cópia virtual do objeto. A inteligência artificial da mão, então, faz infinitas simulações para buscar uma resolução rápida de ação. Em um vídeo de demonstração, o robô rola um dodecaedro entre os dedos sem derrubá-lo. Sem essa tecnologia, o processo de aprendizagem poderia levar meses.

publicidade

O projeto inteiro não consiste apenas em inteligência artificial, no entanto: a mão leve e macia do robô possibilita uma interação segura com humanos. Os dedos são feitos de um tecido de malha 3D (que usa fibras elásticas e de alta resistência), com sensores táteis e uma placa de circuito flexível. Há foles de borracha, no interior, que enchem e esvaziam com ar para mover as articulações.

Além disso, um suporte pneumático na base do dedão e dos dedos indicadores permite que eles se mexam de um lado para o outro. No lugar do punho, duas dúzias de válvulas proporcionais fazem tudo funcionar. A Festo afirma que a mão tem 12 graus de liberdade, o que lhe confere destreza na manipulação de objetos.

Provavelmente, ainda deve demorar um tempo para que a novidade chegue a fábricas e salas de aula. Sistemas de aprendizado de máquina adquirem mais conhecimento com o passar do tempo e se as tecnologias de inteligência artificial e hardware continuarem a evoluir, robôs como a BionicSoftHand devem fazer tarefas ainda menos sugestivas com autonomia em breve. Vamos acompanhar!

Fonte: Engadget

publicidade