O YouTube – a exemplo de outras redes sociais – continua em busca de mecanismos que possam combater a praga das fake News. Dessa vez, o serviço de vídeo vai expandir para toda a Europa um recurso que ainda estava em testes apenas no Reino Unido. A partir de agora, os criadores de conteúdo que receberem verbas públicas ou tiverem qualquer ligação com partidos ou grupos políticos vão receber uma tarja transparente, informando os usuários dessa condição. Além disso, o mecanismo dará preferência ainda maior a grupos de mídia consolidados, como a BBC ou a FranceInfo, que aparecerão nas primeiras posições nos resultados de buscas, como uma maneira de oferecer aos usuários fontes mais confiáveis de informação. A grande preocupação do Google é com as eleições europeias que se aproximam – entre 23 e 26 de maio, os cidadãos dos 28 países membros da União Europeia vão escolher os novos 751 membros do Parlamento Europeu, que vai controlar as decisões políticas de boa parte do velho continente nos próximos 4 anos.

publicidade