EnglishPortugueseSpanish

Nos últimos anos, Samsung e Huawei assumiram uma posição de tentar preencher o vácuo entre o smartphone e o desktop com sistemas operacionais adaptáveis. O Google percebeu e decidiu implementar essa função nativamente no Android Q, que ganhará um “modo desktop nativo” já presente no AOSP, o projeto de código aberto que serve de base para o sistema operacional.

Na palestra do Google I/O chamada “Criar aplicativos para dispositivos dobráveis, com várias telas e de tela grande”, Andrii Kulian, engenheiro de software da equipe do Android Framework WindowManager para Multi-Display (várias telas), compartilhou detalhes sobre como os desenvolvedores podem preparar seus aplicativos para vários “ambientes” de exibição.

publicidade

O modo desktop indica a preparação do Google para um futuro (ainda hipotético) no qual o celular é o único computador na vida dos usuários. Para isso, a empresa precisa incentivar desenvolvedores a adaptarem seus aplicativos. Isso inclui uma série de medidas como:

  • a permissão para criar uma segunda janela do aplicativo para execução secundária (uma no celular, outra na tela do PC);
  • comportamentos múltiplos para vários monitores, permitindo que um app seja executado enquanto outro esteja em foco;
  • você pode selecionar se prefere que seu app abra na tela primária ou na tela secundária;
  • há o suporte para exibição de um teclado virtual na tela secundária
  • Os papéis de parede podem ser separados entre as múltiplas telas

 Se você quiser assistir à sessão (em inglês), basta conferir o vídeo abaixo:

publicidade