EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O primeiro grande teste do foguete OmegA, da Northrop Grumman, não terminou bem. Ontem (30/5), a empresa acionou o motor principal do foguete enquanto ele estava em solo, em Utah, nos Estados Unidos. Perto do final do teste, parte do motor do veículo explodiu, fazendo peças voarem para todos os lados.

O teste de ontem é conhecido como incêndio estático -quando você liga o motor principal com o veículo firmemente preso ao chão. A ignição durou 122 segundos, enviando chamas e plumas de gás para o deserto de Utah. Mas, pouco antes do disparo ser desligado, o bocal do motor do OmegA – o grande cone cilíndrico pelo qual o gás e o fogo fluem – aparentemente explodiu. Confira o vídeo abaixo:

publicidade

O grupo diz que o teste foi bem sucedido, apesar de uma “observação notada bem ao final da prova”, envolvendo o bocal. “No final, quando o motor estava diminuindo, observamos o cone de saída e talvez uma parte dele fazendo algo um pouco estranho que precisamos investigar”, declarou Kent Rominger, ex-astronauta e vice-presidente da Northrop Grumman. Quando perguntado sobre o que aconteceria se esse problema ocorresse se o foguete estive no ar, Rominger disse precisar de mais dados para saber.

O OmegA é a próxima geração de foguetes do Northrop Group. A companhia vem desenvolvendo o veículo para lançar cargas úteis ao espaço para o governo dos EUA. Em 2017, o grupo recebeu U$791,6 milhões de dólares da Força-Aérea norte-americana para que o foguete pudesse transportar materiais de segurança nacional no futuro.

Em breve, mais duas empresas serão selecionadas pelo órgão para lançarem satélites militares entre 2022 e 2026 – e a Northrop Grumman é uma das quatro empresas que concorrerão a esses contratos.

publicidade

Rominger observou que anomalias como essa são a razão pela qual as empresas testam seus foguetes antes de voar. “Vamos investigar esses dados e ver o que eles nos dizem”, concluiu ele.

Via:The Verge