EnglishPortugueseSpanish
publicidade

“Alguém sabe o que aconteceu com o GPS/ADS-B ontem à noite?”. Essa pergunta foi feita no domingo (09), por um comentarista de aviação, no Twitter. “A questão parecia ser bastante difundida, com muitas aeronaves ‘aterradas’ [no sentido de não terem decolado; não terem saído da Terra]. Se isso tivesse acontecido em um dia de semana, o assunto estaria liderando as manchetes dos noticiários nacionais — algum tipo de falha no GPS impediu um pedaço da frota de voos comerciais dos EUA de decolar e quase ninguém notou”.

Até o momento, as autoridades americanas e as companhias aéreas não divulgaram oficialmente uma causa dessa paralisação.

publicidade

De acordo com a Federal Aviation Administration (FAA), Administração Federal de Aviação, em português, “certas aeronaves equipadas com os receptores GPS Rockwell Collins GPS 4000-100 e ADS-B out receptores GPS estão mostrando mensagens como ‘falha ADS-B, indisponível, falha TCAS ou falha do transponder'”. Para entender a falha que estamos discutindo é necessário saber o que é um “transponder”.

Este aparelho é instalado nos aviões que responde a sinais de rádio emitidos por outras fontes com a identificação da aeronave e um código sobre seu status de voo e, além disso, informa sua posição e altitude — uma espécie de complemento a função dos sistemas de radar. No caso em questão, aeronaves sem transponders que estivessem funcionando foram direcionadas para serem coordenadas junto a FAA antes de sua partida. Uma diretiva anterior havia instruído esses aviões a não voar acima de 28.000 pés.

Reprodução

A Rockwell Collins, adquirida pela United Technologies no ano passado, fornece sistemas e serviços de tecnologia da informação aeronáuticos. A questão parece estar concentrada em alguns dos sistemas de ADS-B (Automatic Dependent Surveillance-Broadcast) da empresa. Eles enviam dados de voo para serem captados por estações terrestres. “O sistema ADS-B depende dos dados do GPS para funcionar corretamente, mas um problema com a qualidade dos dados do GPS interrompeu os recursos normais do ADS-B em alguns planos”, explicou o veículo Hackaday.

publicidade

Especula-se sobre a razão da falha

O problema pode ter sido causado por dados defeituosos do GPS ou atualização de software; nada foi confirmado. Contudo, independente causador, fato é que a questão gerou um número significativo de cancelamentos de voos. Segundo a CNBC, operadoras regionais nos EUA “cancelaram cerca de 400 voos programados para domingo”. Uma porta-voz da Delta, companhia aérea tradicional norte-americana, disse que “cerca de 80 voos regionais foram cancelados”. As companhias American e United também foram afetadas pelo mesmo problema.

Vários relatórios on-line sugerem que os aviões impactados foram, em sua maioria, jatos CRJ fabricados pela canadense Bombardier, mas também alguns Boeing 737, 717 e possivelmente um 767 também. “Estamos trabalhando para determinar a causa do problema, que pode ser o resultado de uma atualização de software para os sistemas de navegação da aeronave”, disse a FAA (Federal Aviation Administration) em um comunicado.

Um porta-voz da Collins Aerospace alegou a Zak Doffman, da Forbes, que foram identificados problemas técnicos com os produtos GPS lançados recentemente e, desde então, trabalha-se para identificar a causa e a solução. “Estamos nos comprometendo com nossos clientes para garantir uma capacidade operacional segura e contínua”.

“O GPS não está inativo, já que qualquer um com um smartphone pode ver com facilidade. No entanto, está degradado. Como o sistema GPS de um avião reage a isso depende do software embutido no receptor GPS. Se o sistema falhar, os pilotos terão que confiar em sistemas mais antigos, como o VOR, para navegar. Mas o ADS-B terá ainda mais problemas. Um sistema ADS-B de aeronave precisa de dados de posição para operar. Se você não pode transmitir suas informações de posição, os controladores de tráfego aéreo precisam contar com o radar antiquado para determinar a posição. Tudo isso resulta em um problema de segurança de voo”, reportou o veículo Hackaday.

Houve especulações online de que os testes militares de interferência de GPS podem ser responsáveis pelo problema. No entanto, essa hipótese parece ter sido desconsiderada — esses testes são amplamente divulgados, com significativa antecedência. Também houve confusão quanto à causa da falha para alguns passageiros das companhias aéreas; a interrupção foi atribuída, equivocadamente, ao clima — e não a problemas do sistema. “Hey Delta, algumas atualizações seriam legais. Vocês continuam alegando que é o tempo [a causa], mas nosso piloto acabou de dizer que os militares estão bloqueando o GPS da Delta e é por isso que fomos desviados”, tuitou um passageiro.

Fato é que a falha se tornou (bem) mais popular do que as companhias e autoridades imaginavam — e gostariam. Isso acontece justamente no mesmo período do anúncio de extensões para a aterrissagem das aeronaves Boeing 737 Max — após acidentes que mataram 346 pessoas — e de especulações acaloradas sobre as medidas de segurança a respeito do voo de drones.