O Twitch, uma das maiores plataforma de streaming de jogos, encontrou diversas dificuldades para combater os famosos trolls que “sequestraram” a aba do jogo ‘Artifact’, da Valve, e a utilizaram para transmitir conteúdo ofensivo e que viola suas diretrizes de uso. Dentre esses materiais, estavam incluso pornografia, episódios pirateados de Game of Thrones e até mesmo vídeos violentos, como o do tiroteio da mesquita na Nova Zelândia.

Agora, a plataforma de streaming resolveu contra-atacar: ela entrou com uma ação contra os trolls, mesmo que ainda não tenha ideia de quem eles são. A empresa denominou os acusados como “Desconhecidos e Desconhecidas 1-100”. De acordo ao que consta no processo, “Desconhecido 1 é a pessoa ou entidade responsável pela conduta ilícita alegada neste documento, e que operou uma conta no Twitch sob um pseudônimo”. “Desconhecidos 2-100 são as pessoas ou entidades responsáveis pelo delito alegado neste documento.”

publicidade

No processo, o Twitch explicou que derrubou as transmissões e baniu essas contas – como medida de proteção, o serviço chegou a impedir que novos perfis fizessem qualquer tipo de transmissão. Mesmo com todas essas proteções, os vídeos rapidamente apareceram novamente sob novos nomes e contas.

A empresa concluiu que os hackers usavam bots para contornar os mecanismos de segurança do site e aumentar artificialmente a popularidade de suas transmissões. O Twitch também informou sobre o porquê decidiu entrar com uma ação. Eles alegaram que foram forçados a gastar “recursos significativos” investigando e proibindo esses infratores de operar na plataforma.

Além disso, devido ao que aconteceu, a plataforma perdeu diversos usuários que reduziram o uso de seus serviços ou pararam de visitar completamente o site depois de encontrar um dos vídeos ofensivos. O Twitch ainda disse que vai pedir ao tribunal para proibir que os sequestradores usem o site e solicita que eles paguem pelos danos – isso se eles descobrirem quem eles são.

Via: Engadget