Como parte de uma reestruturação na forma como os usuários interagem na sua plataforma, o LinkedIn anunciou que realizou diversas mudanças em seu algoritmo para que isso fosse possível. Essa é uma tendência que se seguiu após uma apresentação de resultados da empresa mostrar que suas receitas cresceram 27% em relação ao mesmo período do ano passado. Eles optaram por realizar modificações para gerar mais engajamento de seus usuários.

Como parte das mudanças, os usuários estão vendo mais notificações e reações no LinkedIn do que antes e, como disseram seus executivos, essa é a ideia que eles tinham em mente. Como o Facebook fez no ano passado, a plataforma passou a dar mais importância às publicações de amigos do que aos principais meios de comunicação.

publicidade

Por meio de um sistema de aprendizado automático, os conteúdos que provavelmente irão se conectar com outros usuários estão tendo maior destaque. As publicações feitas outros usuários são as que estão aparecendo mais na timeline.

Em vez de impulsionar as publicações que já são virais e não precisam da ajuda do algoritmo, o LinkedIn está dando mais importância a tópicos de conversas mais segmentadas, que serão mais interessantes que tópicos mais amplos para alguns de seus utilizadores.

Além disso, as conversas que exigem uma resposta em forma de comentário também estão ganhando importância. Esse também é o caso de publicações que incluam hashtags e menções, que fazem com que mais pessoas estejam engajadas em participar da discussão.  

Com isso, a plataforma passa a ser mais feita para a interação entre usuários do que qualquer outra coisa. Essa estratégia pode ser boa para a questão comercial da rede social corporativa, já que, quanto mais pessoas interagindo, mais anunciantes relevantes podem se interessar por ter sua marca associada àquele segmento.

Via: Genbeta