A tentativa de se tornar o primeiro homem a cruzar o Canal da Mancha em uma prancha voadora fracassou depois que Franky Zapata, inventor do Flyboard Air, caiu no mar ao tentar pousar para reabastecer seu veículo no meio do trajeto. Zapata decolou perto de Calais e esperava fazer a travessia para a baía de St. Margaret, na costa inglesa, em cerca de 20 minutos. O inventor não se feriu.

Devido à duração da travessia e ao alcance limitado do Flyboard Air, que tem autonomia para apenas 10 minutos de vôo, Zapata teria que fazer paradas de reabastecimento no meio do Canal. O inventor preferiria duas paradas, mas no entanto foi limitado a uma única parada depois que a autoridade marítima francesa expressou preocupação com o impacto no tráfego marítimo, já que o trajeto é muito movimentado.

publicidade

Anteriormente, o francês já havia indicado acreditava ter apenas 30% de chance de fazer a travessia com êxito. 

O fracasso sugere que o uso prático do Flyboard Air é limitado — muito graças à dificuldade pilotá-lo. Em outra ocasião, seu inventor disse que são necessárias pelo menos 50 horas de treino para aprender a “levantar” usando a máquina — que é capaz de atingir até 190 quilômetros por hora. 

Via: The Verge