EnglishPortugueseSpanish

A Microsoft anunciou na última semana o plano para adicionar suporte ao exFAT, sistema de arquivos criado pela empresa, ao kernel do Linux. O exFAT foi criado em 2006 com a intenção de melhorar o sistema de arquivos FAT e, como resultado, possui melhor suporte e maiores limites de volume.

Como ele é um sistema porprietário, os usuários que utilizam sistemas operacionais diferentes do Windows não conseguem acessar unidades USB e cartões de memória formatados usando esse padrão. Com essa implementação, a Microsoft acredita que os usuários Linux vão poder usar o sistema com mais segurança.

publicidade

A empresa declarou em seu blog: “O exFAT é o sistema de arquivos desenvolvido pela Microsoft e usado no Windows e em outros dispositivos de armazenamento, como cartões SD e unidades USB. É por isso que centenas de milhares de dispositivos de armazenamento formatados usando o exFAT ‘funcionam’ quando você os conecta ao laptop, câmera e ao seu carro.”

“É importante para nós que a comunidade Linux possa usar o exFAT incluído no kernel Linux com confiança. Para esse fim, disponibilizaremos publicamente as especificações técnicas da Microsoft para o exFAT para facilitar o desenvolvimento de implementações compatíveis e interoperáveis. “

Aos poucos, a Microsoft desfaz a imagem de inimiga do software livre construída entre os anos 1990 e 2000, quando Steve Ballmer, então CEO, chamou o Linux de um “câncer”. A empresa tem apostado no lançamento de produtos baseados em Linux para sua plataforma de computação em nuvem Azure e recentemente chegou a introduzir o kernel do Linux dentro do próprio Windows 10.

Via: XDA Developers

publicidade