EnglishPortugueseSpanish

Huang Qifan, vice-presidente do Centro de intercâmbio Econômico Internacional da China (CCIEE), disse, durante sua participação na Inaugural Bund Financial Summit, que a China será o primeiro país a lançar uma moeda digital baseada em blockchain.

Durante sua participação, Qifan falou que o Banco Popular da China estuda os sistemas de pagamento digital há mais de cinco anos, e que é bastante provável que ele “será o primeiro banco a introduzir a moeda digital no mundo.”

publicidade

Para Qifan, a emissão de moedas digitais pelo governo pode permitir que os estados soberanos reforcem a distribuição monetária. Além disso, ele acredita que a nova moeda deve ser vinculada ao PIB nacional, ouro, crédito soberano e receita fiscal.

Inicialmente, o plano é lançar uma criptomoeda apoiada pelo governo já em novembro. Uma de suas aplicações seria a de ser usada pelas principais empresas do país. Com Xi Jinping, presidente da China, dizendo que eles deveriam adotar mais tecnologias baseadas em blockchain, sua implementação pode ser acelerada.

Durante seu discurso, Qifan comentou sobre os sistemas atuais de pagamento, e em como eles não são mais eficazes: “O SWIFT é um sistema de pagamento desatualizado, ineficiente e caro. Desde a criação do SWIFT, há 46 anos, a tecnologia foi atualizada lentamente e a eficiência foi relativamente baixa. Além disso, o SWIFT normalmente cobra uma taxa de um milésimo do valor da liquidação e obtém enormes lucros em virtude do monopólio da plataforma.”

O assunto da Libra, moeda digital do Facebook, também foi levantado. Qifan falou brevemente, mas expressou sua descrença de que a Libra será realmente um sucesso. Isso porque, o Facebook enfrenta problemas regulatórios e muita resistência desde que a moeda foi anunciada.

publicidade

Via: Pandaily