EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Como esperado, esta terça-feira (12) marca a data em que mais um serviço de streaming entra na batalha contra Netflix, Amazon Prime Vídeo, HBO MAX, Apple TV +. É o Disney+, que vai ao ar hoje com um catálogo intenso de 600 títulos, produções exclusivas, novas séries de produções queridas como “Star Wars” (The Mandalorian) e “Loki“, além de adaptações live-action como “A Dama e o Vagabundo”.

Desde o início do ano, quando foi anunciada a data de lançamento e alguns detalhes da plataforma, inúmeras novidades foram divulgadas sobre o serviço. Apesar de não desembarcar do Brasil antes de novembro do ano que vem, relembre tudo o que foi comentado sobre o Disney+ nos últimos meses:

publicidade

O que tem no Disney+?

Entre os 600 títulos do catálogo, a plataforma promete estar recheada de séries clássicas e novas produções da Disney, Marvel Studio, Lucasfilm, Pixar, National Geographic.

Entre as grandes apostas está a série derivada de Star Wars, The Mandalorian e remakes como o live-action de “A Dama e o Vagabundo” e o clássico dos anos 90, “Esqueceram de Mim“. Além dos nomes antigos da marca como “Mary Poppins” (1964) e “Abracadabra” (1993), será possível assistir às 30 temporadas de Os Simpsons e ver uma continuação de “High School Musical” (2006).

Ainda, a companhia anunciou que seis novos curtas da Pixar farão parte do serviço. São eles: “Purl”, “Smash and Grab”, “Kitbull”, “Loop”, “Wind” e “Float”. Desses, três foram lançados no início do ano para divulgar a plataforma, como o “Purl”, que já está disponível online.

publicidade

Outro personagem que vai ganhar uma série própria é o Garfinho, do filme “Toy Story 4”. A produção terá 10 episódios curtos e vai se chamar “Pixel Forky Asks a Question” (algo como “Garfinho Pergunta”).

Além disso, no Universo da Marvel, o presidente da Marvel Studios afirmou que as produções do serviço serão “entrelaçadas com o universo cinematográfico atual, com o passado e com o futuro das produções”. Entre os nomes esperados para os títulos deste universo está a série “Loki” (Tom Hiddleston) como uma das primeiras séries originais da plataforma e, no dia 11 de dezembro, a chegada de Vingadores: Ultimato.

O catálogo intenso do serviço foi resumido em um trailer de 3 horas, com aproximadamente 15 segundos para cada uma das obras. Além disso, a própria empresa anunciou que vai pagar US$ 1 mil para quem assistir 30 filmes em um mês.

Quando chega ao Brasil e em outros países?

A previsão de desembarque do Disney+ no Brasil e em outros países da América Latina está prevista para daqui a um ano, em novembro de 2020. O serviço chega na Austrália e Nova Zelândia dia 19 de novembro e, em parte da Europa dia 31 de março do ano que vem.

Por enquanto, não é possível ver as séries originais Disney+ por aqui, uma vez que a companhia não fechou acordos de licenciamento para estas produções. Porém, alguns títulos da Disney serão disponibilizados aqui via Amazon Prime Video, até setembro de 2020 pelo preço de R$ 9,90 por mês. Nele, é possível assistir “Capitã Marvel”, “O Rei Leão”, “Toy Story 4”, “Grey’s Anatomy”, “How I Met Your Mother”, “The Walking Dead”, entre outras obras.

Onde está sendo lançado?

O serviço de streaming vai ao ar hoje nos Estados Unidos, Canadá e na Holanda – país escolhido como teste para a plataforma, que estava disponível gratuitamente desde 12 de setembro na Google Play Store Holandesa.

Onde posso assistir?

Por enquanto, o Disney+ pode ser transmitido em dispositivos do Android até iOS, da TV ao videogame e até mesmo em outras plataformas, como no serviço da concorrente, Amazon Fire TV. A lista completa dos aparelhos que suportarão o serviço está aqui.

Apesar de ainda não ter falado diretamente sobre o Brasil, a Disney disse que pretende expandir sua plataforma de streaming na maioria dos principais mercados globais dentro de dois anos.

O que o serviço oferece?

Além do catálogo recheado e a integração em diferentes dispositivos, o Disney+ permite até sete perfis por conta que poderão assistir em até quatro telas ao mesmo tempo. Em questão de imagem e som, ele terá qualidade 4K, suporte High Dynamic Range (HDR) e Dolby Atmos. Mesmo produções antigas, como “Star Wars“, terão um grande lançamento em 4K.

Clique aqui para entender mais.

Quanto custa?

No Brasil, ainda não há conhecimento sobre o preço da assinatura. Porém, nos Estados Unidos, o serviço custará US$ 6,99 (R$ 30).

Outra oferta válida para os americanos é a possibilidade de uma assinatura por preços mais acessíveis por tempo limitado, ao assinar um pacote com a operadora Verizon, que oferece um ano gratuito para o uso do streaming.

O Disney+ também inclui parceiras com o Hulu e o ESPN+, fazendo um desconto de US$ 5 (R$ 20) para quem assinar duas ou as três opções. No entanto, ainda não sabemos se alguma promoção ou plano parecido será feito no Brasil.