EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Pesquisadores da Universidade de Yamagata, no Japão, descobriram uma nova figura no deserto de Nazca, no Peru, graças ao uso de técnicas de inteligência artificial.

Usando uma mistura de informações obtidas no local e imagens aéreas a equipe liderada pelo professor Makato Sakai descobriu 142 geoglifos, como são chamadas as figuras, previamente desconhecidos. Eles então treinaram um modelo de inteligência artificial em um servidor IBM rodando a plataforma de aprendizado IBM Watson Machine Learning Community Edition, e analisaram os dados em busca de quaisquer outras figuras que por ventura tivessem passado despercebidas. Foi assim que o novo geoglifo, de número 143, foi encontrado.

publicidade

A figura, com 2 metros de largura e 5 metros de altura, mostra um humanóide segurando um bastão e é a primeira encontrada com a ajuda de inteligência artificial. Ela é classificada como “Tipo B”, o menor dos dois tipos de desenhos encontrados na região, e associado ao início da cultura Nazca. Os pesquisadores estimam que ela tenha sido feita entre os anos 100 AC e 500 DC.

Os cientistas ainda não sabem qual o propósito das imensas figuras encontradas entre as linhas de Nazca. Acredita-se que as imagens maiores e mais conhecidas, chamadas de Tipo A, tenham algum significado ritual. Já as Tipo B poderiam ser algum tipo de auxílio de navegação, para facilitar o deslocamento da população no deserto.

Fonte: The Verge

publicidade