EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Diversas criaturas extintas revestem a imaginação do ser humano, sendo o mamute uma das principais. Os gigantes ancestrais dos elefantes são alvos de diversas pesquisas, principalmente por meio de ossos encontrados fossilizados. Porém, outra forma de estudos são as pegadas deixadas pelas criaturas, que são muito difíceis de encontrar e podem passar informações importantes.

Entretanto, um novo método, que já foi usado para revelar bases abaixo do solo durante a Guerra do Vietnã, promete ajudar a encontrar pegadas que foram encobertas com o passar dos anos. O sistema funciona por meio de sinais enviados para o solo, que retornam revelando as estruturas subterrâneas.

publicidade

Uma equipe de pesquisa do The Next Web realizou pesquisas usando a tecnologia no Monumento Nacional White Sands, no Novo México, e encontrou não apenas rastros de mamutes e preguiças gigantes, como também de caçadores humanos. A dificuldade de encontrar esse tipo de registro é tão grande que essas marcas ficaram conhecidas como trilhas fantasmas.

Esses registros podem ajudar a analisar como os animais andavam em comparação com elefantes, por exemplo. Para os cientistas que estudam animais extintos, essas marcas se assemelham a experimentos feitos em laboratório onde animais são submetidos a exercicios sobre uma plataforma.

A maior vantagem em usar a tecnologia dos radares é que há possibilidade de estudar pegadas sem perturbá-las. Além disso, a metodologia pode ser usada para analisar o comportamento dos dinossauros e humanos de regiões onde a escavação pode prejudicar os registros.

Via: The Next Web

publicidade