Uma rede neural chamada Tipper pode alterar a forma como o beisebol é jogado. Seu criador diz que essa inteligência artificial pode prever se um arremesso cairá dentro ou fora da zona de strike. Caso seja dentro, o equipamento acende uma luz verde. No caso contrário, a luz será vermelha. 

O Tipper foi desenvolvido por Nick Bild, um engenheiro de software e “criador em série”. Ele diz que foi inspirado a construir o equipamento enquanto estava ocioso no trânsito, pensando no mundo pelo ponto de vista de um engenheiro. Parece uma ferramenta simples, mas pode ter grandes efeitos.

publicidade

Bild pensa que a ferramenta poderia ser usada para o bem, como no caso de um treinamento utilizando a inteligência artificial. “Vejo o caso de uso principal como um auxílio de treinamento para batedores, para ajudá-los a reconhecer um bom arremesso o mais cedo possível”, diz ele. “Com alguns ajustes, ele também pode ser treinado para observar o arremessador e não a bola. Dessa maneira, o Tipper pode ser usado para alertar arremessadores se eles inadvertidamente derrubarem a massa com a linguagem corporal”. 

Contudo, ele alerta para um possível uso malicioso da ferramenta. “Ele poderia ser usado por um batedor secretamente durante um jogo para obter uma vantagem injusta”, explica Bild. “Não posso deixar de me perguntar se um dispositivo semelhante já existe e está em uso. Uma minúscula câmera apontada para o arremessador e uma campainha totalmente embutida na sola de um sapato são tudo o que seria necessário”. 

O Tipper pode parecer ineficaz quando está lançando bolas de tênis com um Nerf, mas a verdadeira preocupação com essa inteligência artificial é o enigma que ela representa. Se um desenvolvedor de boa-fé pode abrir caminho para uma IA de aprimoramento de desempenho enquanto cria um auxílio de treinamento, do que os desenvolvedores de má-fé são capazes? 

Aos fãs de esportes, resta apenas esperar. O uso de inteligência artificial no esporte pode ser mais um divisor de águas literal do que qualquer pessoa poderia imaginar. 

Via: The Next Web