Limpeza do celular: o que fazer e o que evitar

Vamos falar a verdade aqui: seu celular é podre. Não no sentido de desempenho, mas no sentido de sujo mesmo. Pensa bem, quantas vezes você já desinfetou seu aparelho? A tela que você encosta no rosto para falar numa ligação, é a mesma que você passa o dia todo metendo a mão – mão essa que pegou em tudo, de corrimão de escada a maçaneta de banheiro. Sem falar que você provavelmente usa o aparelho quando está no banheiro, certo?

Você não está sozinho. Um relatório de 2019 feito com 1.200 residentes nos EUA e suas práticas de higiene, descobriu que 88% dos adultos usam seus telefones no banheiro. Não é de admirar que os smartphones agora sejam comparáveis ​​aos assentos sanitários quando se trata de germes e vírus que os reivindicam como lar.

A empresa de higiene Initial sugere que o smartphone médio tem cerca de 10 vezes mais bactérias por polegada quadrada do que um sanitário. Em 2011, acadêmicos da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres descobriram que aproximadamente um em cada seis dispositivos abriga bactérias E. Coli, associadas à matéria fecal (famoso cocô).

Mas como fazer a higienização desses dispositivos, sem danificar esses itens caros? Esfregar na calça não é o suficiente, então seguem as dicas copiladas pelo site CNET.

Como limpar o celular

  • Pano de microfibra: para reduzir o risco de arranhar a tela, use um pano de microfibra úmido em vez de toalhas de papel. O pano não mata bactérias, mas as remove do seu dispositivo.
  • Produtos de limpeza específicos: existem produtos de limpeza especiais para eletrônicos e telas que eliminam bactérias e não deixam marcas.
  • Cuidado com os cantinhos: use cotonetes úmidos para limpar pontos difíceis, como entrada de fones de ouvido ou slots de cartão de memória.
  • Luz UV: quando o negócio fica sério, produtos como PhoneSoap usam luz ultravioleta para matar bactérias microscópicas.
  • Lenços antibacterianos: bem mais em conta do que a luz UV, lenços e toalhas com bactericidas podem ajudar – mas deve ser uma limpeza ocasional, pois pode conter produtos químicos nocivos.

O que evitar

  • Spray para limpeza de janelas: produtos limpadores de vidro podem corroer algumas telas, que contam com proteções anti-óleo e água.
  • Toalha de papel: elas podem ser abrasivas o suficiente para deixar arranhões nas telas frágeis dos smartphones.
  • Álcool: diluído ou não, o álcool danificar seu dispositivo. Evite.
  • Produtos de limpeza para uso doméstico em geral: ele promete matar 99% das bactérias, mas deixe para usar no balcão da cozinha ou no chão do banheiro, não no seu telefone.
  • Vinagre: assim como o álcool, mesmo quando diluído em água pode remover os revestimentos de proteção das telas dos dispositivos.

Via ZDNet

 

Esta post foi modificado pela última vez em 24 de janeiro de 2020 22:01

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Renato Mota