EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O coronavírus se mostrou uma infecção com uma taxa de transmissão entre humanos muito alta. Para evitar qualquer risco de contaminação entre seus pacientes e médicos, os Estados Unidos decidiram usar a tecnologia. A equipe do Centro Médico Regional de Providence, em Washington, utiliza um robô para medir sinais vitais e se comunicar com o paciente.

A máquina é basicamente uma tela sobre rodas com um estetoscópio. Enfermeiras ainda precisam entrar na sala para reposicionar a câmera, por exemplo. Porém, o uso da tecnologia mostra como as autoridades estão comprometidas para evitar a disseminação do vírus e conter o surto.

publicidade

Reprodução

“É por isso que estabelecemos protocolos que nos permitem tratar pacientes com doenças infecciosas de uma maneira que possamos isolá-los sem espalhar o vírus a ninguém”, afirmou George Diaz, chefe da divisão de doenças infecciosas do hospital à CNN.

Ainda não se sabe quanto tempo o paciente vai permanecer em quarentena. Isso porque o Centro dos Estados Unidos para Controle e Prevenção de Doenças solicita testes adicionais. “Eles estão procurando a presença contínua do vírus. Estão olhando para saber quando o paciente não é mais contagioso”, concluiu Diaz.

Via: Futurism

publicidade