EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Uma equipe de cientistas da Austrália desenvolveu com sucesso uma versão em laboratório do coronavírus, a primeira a ser criada fora da China, em uma descoberta que pode ajudar no combate à propagação global da doença.

Os responsáveis pelo feito são os pesquisadores do Instituto Peter Doherty para Infecção e Imunidade, em Melbourne. Eles disseram que vão compartilhar a amostra, cultivada a partir de um paciente infectado, com a Organização Mundial da Saúde e laboratórios de todo o mundo.

publicidade

Anteriormente, pesquisadores chineses também conseguiram criar o vírus em laboratório, porém, liberaram apenas a sequência do genoma, e não uma amostra.

“Ter uma amostra do vírus significa que agora teremos a possibilidade de validar e verificar todos os métodos de teste e comparar suas sensibilidades e especificidades”, afirmou Julian Druce, chefe do laboratório de identificação do vírus do Instituto Doherty.

O coronavírus 2019-nCoV eclodiu na cidade de Wuhan, no centro da China, no fim do ano passado. Até o momento, 132 mortes foram registradas e milhares de pessoas estão infectadas. Além disso, o vírus se espalhou para mais de uma dúzia de países que estão em estado de atenção.

Um indivíduo pode transmitir o vírus através de gotículas de saliva que são expelidas durante a tosse ou pelo espirro. A patologia tem um período de incubação de até 14 dias.

publicidade

A amostra cultivada na Austrália pode ser usada para a criação de um teste de anticorpos, o que permitiria a detecção da doença em pacientes que não apresentam sintomas, além de contribuir para o desenvolvimento de uma vacina.

Via: RTE