EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Betelgeuse não está bem.

A gigantesca estrela vermelha (tem seis vezes a massa do Sol), que fica na constelação de Órion, já foi a décima estrela mais brilhante do céu em 2019. Mas, nos últimos meses, diminuiu drasticamente e agora está na 24ª posição. Astrônomos se perguntam se ela pode estar pronta para explodir numa supernova.

publicidade

Os astrônomos da Villanova University, da Pensilvânia, publicaram um relatório sobre as condições de Betelgeuse, em que constatam que sua magnitude agora é mais fraca do que em setembro. Magnitude é a escala de brilho que os astrônomos atribuem a objetos no céu noturno, e a estrela está 2,5 vezes menos brilhante do que há quatro meses.

“As observações fotométricas mais recentes indicam que Betelgeuse é atualmente a menos luminosa e mais fria já medida em nossos 25 anos de fotometria”, explica o astrônomo Edward Guinan, que lidera a equipe. “Se Betelgeuse está encolhendo, ofuscado por uma mancha solar gigante, envolta em uma explosão de poeira estelar, ou prestes a explodir, é uma incógnita”, completa o astrônomo Tony Phillips, em post para o site Spaceweather.com.

Betelgeuse está chegando ao fim de sua vida. Espera-se que a supernova ocorra nos próximos 100 mil anos. Primeiro a estrela irá encolher, entrando em colapso antes de se recuperar em um dos eventos mais incríveis do universo, uma explosão que poderia ser mais brilhante que a lua e até visível durante o dia. É possível que estejamos vendo o começo desses problemas agora. Ou não.

Via: CNET

publicidade