Será um pássaro? Um avião? Uma invasão alienígena? Moradores das cidades de Auckland, na Nova Zelândia e de Cascavel, no interior do Paraná, observaram na quinta-feira passada (30/01) um estranho fenômeno no céu: um “cordão” de estrelas brilhantes, se movendo em conjunto.

Embora impressionante, o fenômeno tem uma explicação simples: as luzes são provenientes do quarto lote de 60 satélites da constelação Starlink, da SpaceX, lançados ao espaço a bordo de um foguete Falcon 9 um dia antes.

publicidade

Logo após o lançamento os satélites orbitam por cerca de um dia a 290 km de altitude, enquanto testes são realizados. E embora não tenham luz própria, neste período eles estão no “ponto exato” para refletir a luz do sol e serem visíveis em solo.

Depois dos testes os satélites funcionais são manobrados para suas posições definitivas, a 550 km de altitude, quando não são mais visíveis. Quaisquer satélites defeituosos são deixados na órbita inicial e eventualmente são incinerados ao reentrar na atmosfera.

A SpaceX pretende usar a Starlink para fornecer um serviço de acesso rápido à internet em qualquer lugar do planeta. Atualmente 242 satélites estão em órbita, mas a constelação inicial contará com 1.600 satélites, com uma previsão de 12 mil em meados da década e mais de 40 mil nos anos seguintes.

Fonte: UOL

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!