Cloudflare é uma das principais empresas de rede de distribuição de conteúdo e serviços de segurança na internet. A companhia desempenha serviços em aproximadamente seis milhões de websites, que variam de empresas renomadas a plataformas de download de conteúdo ilegal, como o Pirate Bay.

pirataria, aliás, configura um assunto delicado para a empresa. Enquanto a Cloudfare procura se posicionar de forma neutra quanto aos conteúdos publicados por seus clientes, organizações da indústria do entretenimento a acusam de contribuir para a manutenção de plataformas que infringem às normas de direitos autorais

publicidade

A empresa, no entanto, pode estar mudando sua postura. Informações do site Torrent Freak apontam que o Cloudfare passou a bloquear o acesso de usuários ao site de download ilegal de músicas DDL-Music.to. A restrição vale apenas para endereços de IP registrados na Alemanha. Segundo a publicação, testes conduzidos com códigos de outros países não constataram o bloqueio. 

Ao acessar o DDL-Music.To, os usuários encontraram um aviso de código de status “error HTTP 451”, que traz a mensagem “indisponível por razões legais”. O alerta foi aprovado pela Internet Engineering Task Force (IETF) por volta de 2015 como uma opção mais informativa do que o status “403 Forbidden” usado por alguns provedores.

Em nota ao Torrent Freak, o 451 Unavailable, uma organização que fomenta o uso transparente do código de status Error 451, criticou a falta de informações no alerta gerado pelo Cloudfare. “Uma boa mensagem de Error 451 deveria informar aos clientes como enfrentar um bloqueio, por quanto tempo o bloqueio deve durar, onde é possível acessar documentos legais sobre o assunto e qual autoridade impôs o bloqueio”, disse a organização.

Esta não é a primeira vez que o Cloudfire lida com dilemas éticos. Em agosto de 2019, a empresa deixou de atender o site conhecido por fóruns de posições extremistas 8chan devido às ligações da plataforma com tiroteios em massa, nos Estados Unidos.