EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Os Jogos Olímpicos de 2020 estão programados para acontecer entre os dias 24 de julho e 9 de agosto, em Tóquio, capital japonesa. Porém, a epidemia de Covid-19 que atinge o mundo, e principalmente a Ásia, pode mudar os planos para a realização do evento. O Japão possui até agora 274 pessoas infectadas, além de seis mortes confirmadas. 

Segundo a ex-patinadora e atual ministra Seiko Hashimoto, o acordo com o Comitê Olímpico Internacional permite essa mudança. “O COI tem direito de cancelar os jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade dos Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante esse ano”, afirmou.

publicidade

Em fevereiro, o CEO do evento, Toshiro Muto, afirmou que o cancelamento das Olímpiadas não era considerado. Além disso, o governo japonês afirmou que o cronograma dos Jogos iria seguir, apenas com mudanças pontuais para reduzir aglomerações. Uma dessas ações seria diminuir o revezamento da tocha.

Reprodução

publicidade

Até então, diversos eventos testes foram cancelados por conta da epidemia. A escolha final do que vai acontecer com as Olímpiadas, no entanto, depende unicamente do Comitê Olímpico Internacional. Os termos do contrato garantem “arbitrariedade única” para avaliação de riscos e poder para cancelamento dos Jogos por questão de segurança exclusivamente para o COI.

Vale ressaltar que, em 2016, as Olimpíadas do Rio de Janeiro aconteceram normalmente, mesmo com a ameaça do Zika vírus.

Via: O Globo