A startup israelense de Inteligência Artificial Coral Detection Systems decidiu investir em uma tecnologia para proteger banhistas. Como? A empresa desenvolveu um robô salva-vidas autônomo para piscinas. O equipamento usa um sistema de câmeras e IA para evitar afogamentos.

O Manta 3.000 possui capacidade de monitorar uma área de 10 metros quadrados com uma câmera subaquática conectada a um sistema computacional. A tecnologia de Inteligência Artificial identifica uma pessoa logo ao entrar na piscina. Sempre que alguém entra e sai da água a máquina registra e usa o aprendizado de máquina para montar sua base de dados.

publicidade

Reprodução

Se uma pessoa mergulhar e afundar a cabeça por mais de 15 segundos, um alerta é emitido e, caso a situação permaneça, alarmes progressivos são acionados. Desta forma, quem estiver próximo poderá intervir e salvar a tempo alguém em situação de afogamento.

Além da instalação e da manutenção de rotina, não é necessário mais nenhuma intervenção humana para o funcionamento do robô. O equipamento fica ligado 24 horas e usa energia solar para funcionar. Também há a possibilidade de usar uma bateria para eventuais emergências.

Este não é o primeiro sistema projetado para funcionar como salva-vidas, mas é um dos mais acessíveis. O robô vai custar menos de US$ 2.500, aproximadamente R$ 11.625 em conversão direta na cotação atual. O equipamento está em fase de testes em ambientes controlados, o que deve durar pelos próximos meses.

Via: The Next Web