EnglishPortugueseSpanish

Desde que a pandemia do novo coronavírus se espalhou pelo mundo, sua taxa de letalidade tem atingido diferentes valores nos países. No Brasil, esse valor atualmente está em 3,5%, próximo dos 3,9% da China, onde a doença começou. Porém, este número está diretamente ligado à subnotificação dos casos confirmados no país. A expectativa é que, com o aumento de testes, esse valor diminua.

“Quando se usa mais extensivamente os testes, encontra-se muita gente com quadros subclínicos positivos para o coronavírus que são colocados no denominador. Isso aumenta o número de indivíduos com quadros leves, o que diminui a letalidade”, explicou Eliseu Waldman, infectologista da Universidade de São Paulo (USP).

publicidade

Atualmente, o Brasil só testa pacientes com casos mais graves e profissionais da saúde, gerando a subnotificação. “Nós não temos testes para todos os casos. Se tivéssemos hoje todos as casos que estão circulando Brasil afora, nós teríamos um denominador maior e uma letalidade menor. Quanto menos testes você faz, maior a letalidade”, afirmou o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta em entrevista.

No início de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) calculou a taxa global de óbito do Sars-Cov-2 em 3,4%. Hoje, porém, esse número é calculado em 4,8%. As maiores taxas são encontradas na Itália, com 10% e na Espanha, com 8,2%.

Via: Uol

publicidade