EnglishPortugueseSpanish

O tumor maligno glioblastoma é a forma mais mortal de câncer cerebral, com menos de 10% dos pacientes vivendo mais de cinco anos após o diagnóstico. Isso se deve pela dificuldade de tratamento e de pesquisar sobre o tumor. Pensando nisso, o laboratório Dai, especializado em impressão 3D de tecidos vivos, desenvolveu um modelo tridimensional de um cérebro para ajudar nos estudos.

“Usamos células dos vasos sanguíneos do cérebro humano e as conectamos com todos os neurônios, periquitos, astrócitos, os principais tipos de células do cérebro humano”, explicou a empresa. Depois disso, uma substância à base de água foi usada para manter toda a estrutura no lugar, após ser impressa em 3D.

publicidade

No meio da estrutura, foram colocadas células-tronco de glioblastoma derivadas de pacientes com tumores cerebrais. “Podemos observar como as células tumorais do cérebro invadem agressivamente, exatamente como vemos nos pacientes”, destacou o laboratório. Para observar o que acontece dentro do modelo, um laser foi usado para escanear o modelo sem interrompê-lo. Dessa forma, foi possível analisar qual a eficácia do medicamento quimioterápico.

Inicialmente, o tumor encolheu em resposta às drogas, mas voltou a crescer rápida e agressivamente. “precisamos desenvolver e rastrear outros medicamentos”, alertou o Dai. Com a ajuda do modelo, esse processo pode ser acelerado. “Você tem uma quantidade enorme de tempo e custo associados à pesquisa com animais. Com nosso modelo 3D e a plataforma de imagem, é possível ver como as células respondem à radiação ou quimioterapia muito rapidamente”, concluiu.

Via: Phys

publicidade